“Dois terços da população mundial – 3.7 mil milhões de pessoas -, abaixo dos 50 anos, está infetada com o vírus do herpes labial, afirma a Organização Mundial de Saúde, citada pelo jornal britânico The Guardian. “

Existem ainda 417 milhões de pessoas por todo o mundo, com idades compreendidas entre os 17 e os 49 anos, a sofrer do vírus Herpes simplex tipo 2, causador do chamado herpes genital. “Citado pelo The Guardian”.

Vamos saber um pouco mais sobre este vírus:

O herpes é uma doença viral recorrente, causada pelos vírus HSV 1  e  HSV 2, que afeta principalmente a mucosa da boca, lábios ou região genital. Atualmente não tem cura, embora possa ser perfeitamente controlado conseguindo manter a doença assintomática por grandes períodos de tempo. Numa fase aguda geralmente caracteriza-se pelo aparecimento de vesiculas nos lábios região peri-nasal mas também pode colonizar outras áreas com a zona genital se for o caso do Herpes HSV 2. A área infetada é frequentemente dolorosa e muito contagiosa, provocando o contágio no contacto com a área infetada. Sabe-se que o HSV1 e HSV2 são muito semelhantes, mas apresentam algumas diferenças significativas. O HSV1 tem características que o levam a ser particularmente infecioso e virulento para as células da mucosa oral. O HSV2 tem características de maior virulência para a mucosa genital. No entanto, o HSV1 também pode causar herpes genital e o HSV2, herpes oral

 

Como posso ter sido contagiado com o vírus:
A maioria das pessoas portadoras do vírus tipo HSV 1 contraíram-no em criança mas nem sempre apresentam logo sintomas pois só na maioria dos casos a sintomatologia seja evidente a partir da adolescência. A pessoa infetada mesmo que não demonstre sinais e sintomas será sempre portadora do vírus durante a vida.
O vírus dissemina-se através do contacto direto com a zona da pele que tem sinais ativos de herpes labial. O vírus é disseminado a partir do toque, mas beijar uma pessoa com sintomas ativos é a forma mais comum de contrair o vírus. Por vezes os sintomas não são visíveis, especialmente no início do surto. O herpes genital é também causado pelo vírus do herpes simples, mas é frequentemente causado pela estirpe 2 em vez da estirpe 1. Também é possível apanhar herpes labial ao fazer sexo oral a uma pessoa que demonstra sintomas de herpes genital ativo.

Sintomas do Herpes Labial:
A principal indicação da chegada de um novo surto é geralmente uma sensação de ardor, formigueiro ou comichão numa zona específica do lábio ou mucosa oral. Um ou dois dias depois, começam a aparecer os primeiros sinais de herpes labial, como vesículas de cor purpura cheias de líquido em volta dos lábios ou nos cantos da boca. Após alguns dias estas tendem a fundir-se e a formar uma crosta amarelada, que cicatriza dentro de duas semanas.

diagrama de sintomas do herpes labial

Qual o tratamento para o Herpes labial:
Não existe cura para o vírus do herpes, mas existem tratamentos disponíveis que o seu Médico ou Médico Dentista pode prescrever para combater o vírus diretamente, ajudando também na redução da sintomatologia própria da fase ativa e a diminuição do tempo de recuperação. Existem assim tratamentos com cremes tópicos que podem ser aplicados diariamente para aliviar os sintomas, com medicação sistémica sob prescrição médica que é bastante eficiente para casos mais extremos, contudo uma lesão que perdure mais de 2 semanas sem sinais de recessão consulte o seu Médico ou Médico Dentista para efetuar um diagnóstico diferencial

Dr. Luís Forte Martins
Diretor Clínico | Licenciatura Anatomia Patológica | Mestrado Integrado Medicina Dentária | Áreas de interesse : Patologia Oral | Ortodontia | MD Generalista