“Uma questão angustiante”

O termo halitose deriva do latim “halitus” que significa ar expirado e do sufixo grego “ose” que expressa uma condição anormal ou patológico, podendo ser definido como odor desagradável da boca.

“ Cerca de metade da população Portuguesa sofre desta condição”

Nada Mais constrangedor que a insegurança, nervosismo de quem padece deste mal ao aperceber-se da sua condição. Desde gerações passadas que o assunto vem sendo tema de discussões na literatura a aflição dos pacientes é descrita em comédias e tragédias segundo o dramaturgo romano Titus Marcus Plautus (254-184 a.c).

A halitose deve ser considerada importante por pelo menos 3 razões:
1º É uma restrição social,
2º O medo de possui-la pode originar neuroses,
3º A presença de halitoses pode evidenciar estados patológicos da cavidade oral, entre outras patologias que não podem ser descoradas á partida,

Em condições normais o hálito humano não possui odores desagradáveis mas tem um odor característico, levemente adocicado. Este pode variar durante o dia e de acordo com a hora, dependendo em grande parte, do fluxo salivar, dos resíduos alimentares e da população bacteriana. Com o aumento da idade, torna-se mais intenso, mas normalmente não chega a ser desagradável (Neves et al., 2002)
Tratamento:
O odor fisiológico na cavidade oral é causado geralmente por compostos voláteis que contem enxofre, proveniente da degradação de alimentos proteínas e microrganismos (Tarzia, 1996), o que resulta em peptídeos e aminoácidos sulfurados, que juntamente com a putrefação da saliva a queda do ph, a temperatura e umidade resulta num odor fétido que designamos por mau hálito (Santos et al., 2003)
Neste sentido o combate ao odor da boca inicia-se pelo tratamento primário baseado na eliminação da produção de gases voláteis complementando com uma boa higiene oral (Tommasi.,2003)
É de realçar que em muitos casos o problema é reversível. Para tal é necessário verificar o fluxo e produção salivar, e xerostomia, língua seborreica, stress, medicação, grandes períodos de jejum, défice de ingestão de líquidos, tabaco e bebidas alcoólicas. É importante avaliar também as diversas funções do organismo nomeadamente estomago, fígado e rins que devem ser considerados, contudo é importante ressaltar que a maioria dos casos de halitose provem da cavidade oral.
No entanto e como 90% dos casos de mau hálito têm origem na cavidade oral, a melhor forma de despistar será ir a uma consulta de medicina dentária.